SETOR MOVELEIRO DO MUNICÍPIO DE DUQUE DE CAXIAS E O SEU POTENCIAL PARA CONSTITUIR UM ARRANJO PRODUTIVO LOCAL

Laura Sinay, Luiz Antonio Nunes de Sant Anna, Maria Cristina Fogliatti de Sinay

Resumo


Segundo o SEBRAE (2013) existem 6,1 milhões de micro e pequenas empresas formais em atividade, representando 99% do total das empresas brasileiras. Elas reúnem 2,8 milhões de micro-empreendedores individuais formalizados e geram 14,7 milhões de empregos com carteira assinada. E contribuem com 25% do Produto Interno Bruto Brasileiro. No presente trabalho, após uma revisão do referencial teórico brasileiro sobre a formação de arranjos produtivos locais são caracterizadas as vantagens e os desafios associados a este tipo de organização produtiva. Essas informações permitiram a construção de questionários de cujas informações pode-se diagnosticar o potencial que um conjunto de micro, pequenas e médias empresas de um mesmo setor e localizadas numa área geográfica limitada tem de constituir um Arranjo Produtivo Local - APL. Esses questionários foram aplicados num conjunto de empresas do setor moveleiro do Município de Duque de Caxias, RJ. A análise das informações levantadas permite caracterizar fisicamente as empresas do grupo estudado quanto ao seu porte, tempo de vida, tipo de contratação praticada e setores que as constituem e quanto a atividades de treinamento de mão de obra, de capacitação de recursos humanos, de produção, de cooperação, de inovação e de posição no mercado, chegando-se, assim, ao potencial de constituição de um APL.

Palavras-chave


Arranjos Produtivos Locais; Setor Moveleiro; Desenvolvimento Local; Organização de Micro, Pequenas e Médias Empresas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.