GOVERNANÇA COOPERATIVA: O PROBLEMA DO HORIZONTE EM COOPERATIVAS AGROPECUÁRIAS DO RIO GRANDE DO SUL

Dieisson Pivoto, Paulo Dabdab Waquil, Marcelino De Souza, Caroline Pauletto Spanhol

Resumo


O trabalho teve como objetivo analisar o problema do horizonte nas cooperativas agropecuárias do Rio Grande do Sul, bem como as estratégias empregadas pelas mesmas para minimizá-los. Esse problema surge devido à perspectiva temporal do cooperado ser diferente da organização cooperativa, pois os cooperados tendem a priorizar os projetos e os investimentos que visem ao benefício da sua atividade econômica no curto prazo. Metodologicamente, escolheu-se o método misto na execução da pesquisa, isto é, utilizaram-se informações qualitativas e quantitativas. Para tanto, foram amostradas 10% das cooperativas agropecuárias ligadas à Organização das Cooperativas do Estado do Rio Grande do Sul (OCERGS). Constatou-se que as cooperativas que têm os “grãos” como principal atividade de negócio apresentaram maior intensidade do problema do horizonte. A maioria das variáveis utilizadas para captar esse problema apresentou valores elevados de concordância. Observou-se também que a condição financeira da cooperativa afeta a incidência do problema do horizonte. Entre as principais estratégias para minimizar esse problema estão: a distribuição de sobras, os programas de relacionamentos e incentivos com o quadro social e a devolução do capital social ao cooperado na cooperativa após grande período. Evidencia-se a necessidade de adoção de novos modelos organizacionais para superação do problema de horizonte, mas para consecução de tal estratégia, faz-se necessária a atualização da legislação vigente tomando em conta o novo ambiente do agronegócio.

Palavras-chave


Agronegócios; Economia rural; Cooperativismo agropecuário; Estratégias em cooperativas; Gestão de cooperativas

Texto completo:

PDF