CANAIS DE COMERCIALIZAÇÃO DE ORGÂNICOS: ALTERNATIVAS PARA OS AGRICULTORES FAMILIARES DO LESTE PAULISTA

Priscila Silveira de Oliveira, Marta Cristina Marjotta-Maistro

Resumo


Este trabalho tem como objetivo descrever as alternativas adotadas por agricultores familiares na escolha de canais de comercialização para produtos orgânicos in natura. Para isso foram feitas entrevistas a partir de um roteiro semiestruturado com catorze agricultores familiares. Os entrevistados são produtores do leste paulista, região geográfica do interior de São Paulo localizada entre duas bacias hidrográficas: dos rios Capivari – Piracicaba – Jundiaí e do rio Mogi Guaçu e foram localizados a partir do método “bola de neve”. É observado que os canais de distribuição denominados “curtos” constituem-se na melhor estratégia dos agricultores familiares. As feiras são os locais de venda escolhidos pelos agricultores como o melhor canal de comercialização para atender as suas necessidades. As principais razões apontadas pelos entrevistados para esse resultado são os preços melhores que eles conseguem devido à ausência de qualquer atravessador (intermediário). O maior desafio tem sido em relação aos supermercados devido às desfavoráveis cláusulas contratuais requeridas, principalmente no que se refere aos baixos preços praticados pagos aos agricultores. Este estudo permite refletir sobre a importância de ações para gestão em comercialização e logística no processo de distribuição de produtos advindos da agricultura familiar. Nesse sentido, o associativismo formal ou informal na produção e na comercialização tem se mostrado mais eficiente e seguro em relação a um trabalho de organização individual, principalmente como estratégia para diversificação da produção, constância na oferta e busca por diferentes canais de comercialização.

Palavras-chave


Agricultores familiares; Orgânicos; Canais de comercialização; Alternativas

Texto completo:

PDF