AVALIAÇÃO DO SISTEMA SETORIAL DE INOVAÇÃO - SSI: ANÁLISE DA INDÚSTRIA QUÍMICA DE ALAGOAS

Luciana Peixoto Santa Rita, Waldemar Antônio Rocha Souza, Claudio Zancan, Reynaldo Rubem Ferreira Junior, Anderson Barros Dantas

Resumo


Analisam-se as interações entre os agentes econômicos, para examinar
como a inovação e a competitividade em uma indústria são sistêmicas
e co-evoluem. Especificamente analisam-se as interações e as
articulações tecnológicas entre empresas e demais organizações que
compõem o sistema setorial de inovação na indústria química de
Alagoas, em 2014, comparando com Santa Rita et al (2009). O estudo é
quantitativo, sendo descritivo quanto aos objetivos. Aplicou-se uma
pesquisa censitária junto a vinte e duas empresas da indústria química
de Alagoas. A análise de dados usou técnicas estatísticas não
paramétricas, o coeficiente de concordância W de Kendall para 

examinar a correlação entre as dimensões existentes de Organizações,
Tecnologias e Instituições e o coeficiente de correlação r de Spearman
em razão da relação linear. Em particular, a interação entre as
empresas e outras organizações do sistema registrou evolução, exceto
os sindicatos, associações e órgãos públicos. Também, os limites das
três dimensões do sistema, organizações, tecnologia e instituições
ilustrou que a dimensão organizações apontou o maior grau de
aplicabilidade dentro do sistema, enquanto a dimensão instituições
reduziu o grau. Como conclusão, os testes empíricos apontaram grau
de correlação entre o desenvolvimento de tecnologias, as organizações
que as desenvolvem e as instituições que regulam o uso da tecnologia,
conforme Malerba (2002), rejeitando-se a hipótese nula de ausência de
correlação entre as dimensões. Adicionalmente descreve-se uma
revisão e aplicação prática sobre o fenômeno da inovação e a ligação
com os sistemas setoriais.


Palavras-chave


Sistemas de inovação setorial – SIS; co-evolução; indústria química; Alag

Texto completo:

PDF