RELAÇÕES ENTRE EMPRESAS E INSTITUIÇÕES LOCAIS EM APLS SERGIPANOS: UMA ANÁLISE SOB A ÓTICA DOS AGENTES ECONÔMICOS

Aline de Aragão Zambrana, Rivanda Meira Teixeira

Resumo


Em um arranjo produtivo local (APL), as instituições de suporte fornecem um conjunto de serviços que contribuem na promoção da competitividade das empresas. Sob o ponto de vista dos agentes econômicos de dois arranjos produtivos locais sergipanos – um de cerâmica vermelha e outro de confecções –, este estudo centra-se em investigar a relação entre empresas e instituições locais. Utilizando entrevistas qualitativas, o estudo revela que as garantias e condições exigidas pelas entidades financeiras para concessão de crédito são motivo de descontentamento no relacionamento. No APL de cerâmica vermelha do Baixo São Francisco, a Universidade Federal de Sergipe (UFS) tem desempenhado um papel de liderança no processo de desenvolvimento local com base na inovação. A formalização de um convênio de cooperação técnica com a instituição tem possibilitado uma maior proximidade entre os atores. Por sua vez, o Sebrae tem mantido uma relação mais forte com as empresas do APL de confecções de Itabaianinha, contribuindo para a qualificação da mão de obra local e estimulando a competitividade.

Palavras-chave


Arranjos produtivos locais; Instituições; Relações interorganizacionais

Texto completo:

PDF