ACESSIBILIDADE E MOBILIDADE DO PEDESTRE COM DEFICIÊNCIA FÍSICA E VISUAL EM ÁREA URBANA DO MUNICÍPIO DE TAUBATÉ (SP)

Juliana Rigotti de Oliveira, José Luis Gomes da Silva

Resumo


O aumento da população, o desenvolvimento econômicoe a facilidade na aquisição de veículos para o transporte individual no Brasil (automóvel e motocicleta) nas últimas décadas resultaram em políticas e projetos voltadas para o sistema viário e a mobilidade dos veículos motorizados, fazendo com que o pedestre com deficiência ou não, se adapte ao ambiente existente. As políticas e projetos voltados para a acessibilidade e mobilidade das pessoas com deficiência (PCD) são recentese estão implantadas em algumas cidades brasileiras.Ao partir dessa premissa, esta pesquisa tem o objetivo de analisar medidas direcionada a acessibilidade e mobilidade do pedestrenas calçadas na área urbana da cidade de Taubaté localizada no Estado de São Paulo. Foi realizado pesquisa de campo, com abordagem quantitativa, de modo exploratório, probabilístico e por acessibilidade. Os atores participativos, estão dentro das classes dos deficientes físicos e deficientes visuais, a amostra foi composta de 31 participantes. O instrumento aplicado foi um questionário e para análise dos dados foi aplicado a análise de Correlação de Pearson (R).O trabalho desenvolvido teve como referência básica a literatura existente sobre o assunto, assim como na pesquisa de campo.Os resultados obtidosdemonstram que as dificuldades de acessibilidade e mobilidade das pessoas com deficiência, ocorrem devido a estrutura atual das calçadas, como largura, obstáculos, barreiras físicas e ausência de sinalização. Conclui-se que o Poder Público precisa adotar um conjunto de medidas, como práticas aplicadas com sucesso em outras cidades e países, por meio de planejamento a longo prazo e elaboração de políticas públicas que respeite as características e limitações das PCD física e visual.

Palavras-chave


Gestão. Desenvolvimento Regional. Pedestre. Acessibilidade. Mobilidade. Pessoas com Deficiência.

Texto completo:

PDF