MODOS DE GESTÃO PARA A DIVERSIFICAÇÃO PRODUTIVA EM REGIÕES PRODUTORAS DE TABACO

Oscar José Rover, Sérgio Luís Boeira, Renê Birochi, Tânea Mara Follmann

Resumo


As propostas de diversificação da fumicultura no Brasil são
organizadas sem prever a substituição do tabaco por outras atividades.
Há um discurso que defende modos sustentáveis de produção agrícola,
mas os documentos evidenciam a manutenção do tabaco no centro das
propostas de diversificação. O artigo relaciona dinâmicas de
diversificação da produção de tabaco com características de estruturas
organizacionais e seus modos de gestão. Além de uma análise teórica,
utiliza-se de um estudo de caso que comparou a cultura do fumo com a
olericultura, em termos de renda, motivações dos agricultores e
capacidade de sustentação econômica e ambiental. Conclui-se que para
a diversificação das áreas de produção de tabaco ser efetiva necessita

de uma abordagem de gestão socioambiental/territorial, que desloque
a diversificação de um perfil instrumental empresarial ou estatal, para
um modo instrumental/substantivo, valorizando a multifuncionalidade
agrícola.


Palavras-chave


Fumicultura; Agricultura Familiar; Agroecologia; Desenvolvimento Rural; Multifuncionalidade

Texto completo:

PDF