ESTRUTURAS DE GOVERNANÇA NO ARRANJO PRODUTIVO LOCAL (APL) DA CASTANHA-DA-AMAZÔNIA NO ESTADO DO ACRE

Gelciomar Simão Justen, Mariluce Paes de Souza

Resumo


A Amazônia é reconhecida mundialmente por suas características econômicas e sociais, além de sua biodiversidade. Nela se inserem diversos agentes que se organizam e articulam para a promoção do seu desenvolvimento, tendo como uma forma de organização o Arranjo Produtivo Local (APL). No Estado do Acre o APL da Castanha-da-Amazônia ressalta esta característica, pois este congrega diversos agentes articulados em atividades econômicas, políticas e sociais. Diante disso, o objetivo geral da pesquisa consiste em identificar a estrutura de governança no arranjo produtivo local da Castanha-da-Amazônia, no estado do Acre, visando conhecer os agentes e os seus relacionamentos. Para atender ao objetivo proposto realizou-se pesquisa qualitativa de caráter descritivo e explicativo, com embasamento em pesquisa bibliográfica, estudo de caso com pesquisa de campo. O universo foi o APL da Castanha-da-Amazônia no Estado do Acre, tendo como sujeitos os agentes que se relacionam com o arranjo. Os dados foram coletados através de entrevistas semiestruturadas e questionários, adaptados, que permitiram mapear o arranjo, identificar os agentes envolvidos e caracterizar as relações entre estes. Os resultados demonstram que o APL da Castanha-da-Amazônia, no estado do Acre, caracteriza-se pela concentração de diversos agentes, como extrativistas, associações, cooperativas, governos federal, estadual e municipal, comerciantes, consumidores e comunidade geral, com finalidades econômicas, políticas e sociais específicas, pautado em uma estrutura de governança híbrida, caracterizada pelos relacionamentos formais, e informais, convencionados em uma dinâmica particular, voltadas a promoção do desenvolvimento local.


Palavras-chave


Arranjo Produtivo Local, Castanha-da-Amazônia, Estrutura de Governança, Estado do Acre.

Texto completo:

PDF