MANEJO FLORESTAL COMUNITÁRIO EM PARCERIA NA AMAZÔNIA BRASILEIRA: O CASO DA FLONA DO TAPAJÓS

Ana Luiza Violato Espada, Mário Vasconcellos Sobrinho, Gilberto de Miranda Rocha, Ana Maria de Albuquerque Vasconcellos

Resumo


O artigo discute o manejo florestal comunitário na Amazônia brasileira, em especial como a parceria enquanto teoria e prática contribui para sua implementação e consequentemente para a governança ambiental e desenvolvimento local. Parte-se do entendimento de que a parceria é uma importante dimensão da governança ambiental e, assim, contribui para a gestão de atividades produtivas sustentáveis em florestas públicas como o manejo florestal comunitário. Tomou-se como referência no estudo o caso da Floresta Nacional do Tapajós, localizada no oeste do estado do Pará e a cooperativa comunitária que realiza o manejo florestal nessa floresta. Os resultados da pesquisa revelam que o manejo florestal comunitário na Floresta Nacional do Tapajós iniciou e se desenvolveu a partir de uma rede de atores sociais advindos do governo, sociedade civil organizada e comunidades locais que conformam parcerias. Estas contribuem na formação de uma gestão coletiva dos recursos florestais, que tem se mostrado eficiente e qualificada, ao permitir a geração de trabalho, renda e o aperfeiçoamento técnico e profissionalizante dos moradores da floresta. Observa-se que o modelo de gestão do manejo florestal na Floresta Nacional do Tapajós é referência nacional e internacional, sendo fruto da atuação de uma rede de parceiros que promovem, cada um com sua expertise, as bases para o desenvolvimento local e sustentável do oeste do Pará, Amazônia.


Palavras-chave


Manejo Florestal. Parceria. Governança Ambiental.

Texto completo:

PDF