AÇÕES GOVERNAMENTAIS PARA O DESENVOLVIMENTO DE TERRITÓRIOS CRIATIVOS NO CONTEXTO BRASILEIRO

Magnus Luiz Emmendoerfer, Alexandre Sette Abrantes Fioravante, Joaquim Filipe Ferraz Esteves de Araújo

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar a estruturação organizacional e as ações promovidas pelo Governo Federal brasileiro para o desenvolvimento de territórios por meio da Economia Criativa. Em termos metodológicos, realizaram-se essencialmente pesquisas documentais e bibliográficas e, de modo complementar, entrevista em profundidade, tendo como alvo as ações do Ministério da Cultura, com destaque para a Secretaria de Economia Criativa, cujos dados obtidos foram tratados pela técnica de análise de conteúdo temática. Constatou-se que o Governo brasileiro tem reconhecido o potencial multiplicador embutido nos segmentos criativos, posicionando-se de forma ativa por meio da formulação e da implantação de políticas recentes, estruturadas de forma transversal entre as esferas de governo. No entanto, desde a criação da SEC, evidencia-se atualmente uma organização estrutural ainda “incipiente” para fomentar setores criativos no Brasil, em que se observam avanços dispersos. Ressalta-se, ainda, que muito se discute em torno do conceito de economia criativa a ser trabalhado nacionalmente, isto é importante, mas a discussão precisa ir mais além da esfera conceitual e ganhar o campo prático.

Palavras-chave


Políticas Públicas; Economia Criativa; Desenvolvimento Territorial; Setor Cultural; Gestão Pública.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.