RELAÇÕES DE PROXIMIDADE ENTRE ATORES LOCAIS E AS DINÂMICAS DE DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL: ANÁLISE DA CADEIA PRODUTIVA DO QUEIJO ARTESANAL SERRANO NOS CAMPOS DE CIMA DA SERRA/RS

Carine Pachoud, Martin Coy

Resumo


O conceito de desenvolvimento territorial, que caracteriza uma possibilidade de evolução endógena do território, se impõe, especialmente frente à retirada dos poderes públicos. Vemos uma implicação crescente dos atores locais nas dinâmicas de desenvolvimento, nas suas capacidades de se mobilizar e elaborar os seus próprios projetos. As cooperações entre os atores locais dessas cadeias parecem ser um elemento chave da sua resiliência, em que relações de confiança são centrais. Nesse sentido, nos Campos de Cima da Serra-RS, a produção de gado de corte, em campo nativo, está associada à produção do Queijo Serrano. Essa atividade de importância histórica fica em desacordo com normas sanitárias de produção. Com efeito, as leis não tratam das especificidades da produção artesanal e é submetida aos mesmos padrões sanitários e instalações industriais. De outro lado, o interesse dos consumidores por produtos artesanais e locais, e o crescimento do turismo permite um aumento na demanda do queijo artesanal serrano. Há sete anos a associação de produtores Aprocampos foi criada com o objetivo de buscar formas legais para desenvolver a produção preservando as características históricas. No entanto, essa associação está frágil, ainda com pouca adesão e iniciativa por parte dos produtores, sendo, a Emater-RS, o ator central no incentivo da Aprocampos. Nesse contexto, buscamos entender as dinâmicas de cooperação entre atores, através de uma análise de proximidades e confiança, bem como analisar o papel dessas relações no processo de desenvolvimento territorial.

Palavras-chave


Desenvolvimento territorial. Cadeias curtas. Proximidades. Confiança.

Texto completo:

PDF