DIMENSÕES ECONÔMICA E SOCIAL DOS IMPACTOS DO PAC NO COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO DE SUAPE-PE, EM 2007-2015

Rafael Gonçalves Gumiero

Resumo


O Complexo Industrial Portuário de Suape (CIPS), em Pernambuco, tem uma longa trajetória de experiência de planejamento econômico e, no governo Lula, recebeu forte impacto de investimentos do Programa de Crescimento Econômico (PAC), o que permite posicioná-lo como uma alternativa para o desenvolvimento de Pernambuco. O objetivo deste artigo é avaliar se houve alinhamento do investimento do PAC, no período 2007 a 2015, para as áreas econômicas e sociais no CIPS. A metodologia adotada de investigação foi avaliar o perfil de investimentos do PAC, por intermédio dos relatórios PAC 2007-2010, PAC 2 2011-2014, PAC-Pernambuco 2011-2014, PAC-Pernambuco 2015-2018. Posteriormente, analisar os indicadores socioeconômicos dos oito munícipios que compõem o território estratégico de Suape, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), o Atlas de Desenvolvimento Humano e Condepe/Fidem. Concluiu-se que a estratégia do PAC concentrou seus recursos nos municípios com maior dinamismo econômico: Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes e Cabo de Santo Agostinho.

Palavras-chave


Complexo Industrial Portuário de Suape. Programa de Crescimento Econômico. Polarização. Vulnerabilidades sociais. Desigualdades regionais

Texto completo:

PDF