MOVIMENTOS SOCIAIS E RESILIÊNCIA: NOÇÕES COMPLEMENTARES OU ASSIMÉTRICAS?

Jose Pont Vidal

Resumo


A resiliência social e a estratégia emergem como uma possibilidade e uma resposta, baseadas na “capacidade de adaptação” das comunidades afetadas por problemas sociais, ecológicos, econômicos ou políticos, derivados dos déficits e práticas de má administração e gestão pública. Se os dois tipos de ação coletiva têm similaridades, surge a pergunta: Por que surge a resiliência social? Neste trabalho, organizado em duas partes, exploramos e analisamos os termos de uma gestão pública orientada ao desenvolvimento sustentável (como reivindicação dos movimentos sociais na Amazônia) e dirigida à auto-organização da sociedade. Na primeira parte analisamos um plano conceitual da estrutura de uma gestão orientada ao desenvolvimento sustentável. Na segunda parte ilustramos essa interconexão na Amazônia brasileira na região do Xingu.

Palavras-chave


resiliência social, auto-organização, movimentos sociais, Central Hidroelétrica de Belo Monte, autonomia.

Texto completo:

PDF