20 anos de Eco-eficiência no Brasil: de estratégia de negócios a princípio de Política Pública

Maria Isabel Lopes da Costa, Elmo Rodrigues da Silva, Ubirajara Aluízio de Oliveira Mattos

Resumo


Nos últimos 20 anos os conceitos de desenvolvimento sustentável e de sustentabilidade tornaram possível a emergência de uma matriz conceitual na qual se elaboram, desenvolvem e reformulam estratégias, princípios, métodos e técnicas que passam a explicar, mediar e intervir na relação do homem com o meio natural. Nesta matriz insere-se o conceito de eco-eficiência. Inicialmente utilizado como estratégia empresarial corporativa, ele passa, posteriormente, a embasar políticas públicas e privadas voltadas para questões ambientais e do desenvolvimento. No âmbito da academia, este processo tem suscitado críticas face à sua linearidade e limitações conceituais e metodológicas. O objetivo deste artigo é identificar e avaliar como vem se dando a adoção do conceito de eco-eficiência nas políticas públicas e na pesquisa científica nacional e internacional, através de uma revisão sistemática realizada nas bases de dados bibliográficos nacionais e internacionais. A pesquisa possibilitou vislumbrar que, desde a sua origem, tal conceito vem sendo tensionado por diversas matrizes do conhecimento e tomadas de decisão, ao migrar do setor empresarial para ser adotado como princípio de políticas públicas, a exemplo da Política Nacional de Resíduos do Brasil.

Palavras-chave


Eco-eficiência; Desenvolvimento Sustentável; Sustentabilidade; Perspectiva Transdisciplinar

Texto completo:

PDF