Áreas de proteção ambiental como estratégia para o desenvolvimento regional: reflexões teóricas e metodológicas a partir do caso de Ipuaçu-SC

Tania Maria Radaelli, Benedito Silva Neto, David Basso

Resumo


As Áreas de Proteção Ambiental (APAs) foram criadas para proteger o entorno das Áreas de Proteção Permanente, quando a desapropriação das terras ou a transferência dos moradores se mostrasse inviável. A experiência de implantação de APAs, entretanto, tem se mostrado decepcionante. Com base na análise de uma situação concreta de tentativa de implantação de uma APA no município de Ipuaçu este artigo tem por objetivo realizar uma reflexão teórica e metodológica que possa contribuir para a formulação de planos de gestão para Áreas de Proteção Ambiental. Após a realização de uma revisão da literatura sobre a Teoria da Complexidade e o Realismo Crítico, evidenciando-se as suas consequências sobre o conceito e a promoção do desenvolvimento sustentável, é discutida a formulação da proposta de uma APA no município de Ipuaçu e os motivos da sua rejeição pela população local. A partir do confronto entre a revisão de literatura e a análise da situação do município são formulados alguns princípios metodológicos, cuja adoção, ao considerar o desenvolvimento sustentável como um processo evolutivo e aberto, pode trazer contribuições importantes para superar dificuldades de implantação de APAs.

Palavras-chave


Áreas de Preservação Ambiental; Complexidade; Desenvolvimento Sustentável; Desenvolvimento Local; Agricultura

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.