Financiamento público, estratégias de inovação e acordos de cooperação em I&D

Manuel Guisado González, Manuel Guisado Tato, Mercedes Vila Alonso

Resumo


A partir da "Enquete de Inovação Tecnológica 2000", construímos uma base de dados das empresas manufatureiras espanholas que realizam atividades de inovação. Estabelecemos um modelo de regressão logística binomial que relaciona o tamanho da empresa, a intensidade tecnológica, o financiamento procedente das agências autonômicas, estatal e européia, a I&D interna e a I&D externa, com a probabilidade de estabelecer acordos de cooperação em I&D. Os testes realizados nos indicam que todas as variáveis influem positivamente sobre a probabilidade de cooperar, embora a variável empresa de mediano tamanho não é estatisticamente significativa. Do mesmo modo, se constata que os organismos públicos que exercem maior influência são os europeus e os estatais. As empresas que utilizam mais de um organismo simultaneamente são mais propensas a estabelecer acordos de cooperação.

Palavras-chave


Inovação; Financiamento Público; Capacidade de absorção; Acordos de cooperação; Contratação externa de I&D

Texto completo:

PDF