Tecnologias e performances de gênero: um estudo na Delegacia de Especializada de Atendimento à Mulher

Rosa Frugoli, Pedro Paulo Gomes Pereira

Resumo


Este estudo, sobre manifestações e produções de gênero, decorre das observações e do registro de campo realizados numa Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM). Os dados foram cotejados com as discussões teóricas desenvolvidas por Scott (1995), Butler (2003) e Lauretis (1994) com o objetivo de apreender as formas e os modos de tratamento dados às questões de violência de gênero no âmbito de uma instituição relacionada ao campo de atendimento e direitos, compreendendo a unidade policial como uma instância produtora de tecnologia. Ganha sentido pensar o gênero em sua dimensão cultural, de subjetividade e de intersubjetividade, uma vez que resulta, em parte, pelo efeito imaginário e representacional histórico-cultural que mantém crenças, normas e instituições sociais que legitimam seu significado. Equivale dizer que a violência, as tecnologias de gênero e as performances se mostram por variadas formas e intensidades. Essas repercussões identificadas no espaço das relações sociais impõem intervenções do Estado em suas várias esferas, não só em termos de ordem pública, mas de acessibilidade ao direito conquistado.

Palavras-chave


Violência de gênero; Tecnologia; DEAM.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X