Bordas urbanas: análise da produção e apropriação dos espaços periurbanos da cidade do Recife, Pernambuco

Deyglis Fragoso de Lima, Milena Dutra da Silva, Cybelle Frazão Costa Braga, José Augusto Ribeiro da Silveira, Eduardo Viana Lima

Resumo


Este trabalho visou entender a dinâmica da produção e apropriação dos espaços periféricos mais avançados da cidade de Recife, por intermédio do estudo da dinâmica imobiliária nos bairros de Tejipió e Sancho, considerando o período de 1980 a 2010. Foram considerados aspectos físicos, sociais e econômicos. Utilizamos como ferramenta de análise o suporte iconográfico, os dados estatísticos obtidos nos órgãos de planejamento do Recife e os dados gerados pelas pesquisas de campo, em 2010 (análise tipológica e aplicação de questionários). A fenomenologia das bordas, sob os pontos de vista físico e social, auxilia a compreensão do complexo urbano. Foram identificadas, na borda intraurbana sudoeste de Recife, características derivadas do modelo de cidade espraiada, a saber: carências em infraestruturas e serviços urbanos, especulação fundiária e imobiliária, condições desiguais de acesso a terra e à moradia, adensamento construtivo e populacional, etc. Estes últimos diferenciam a área analisada de outras áreas de borda examinadas pela literatura especializada. Observamos ainda investimentos do setor imobiliário formal e estabelecimento de condomínios verticalizados. Foi constatado que as áreas são predominantemente residenciais e que tiveram o seu estabelecimento influenciado pela acessibilidade ao centro da cidade e a equipamentos urbanos, além do baixo valor do solo e de aluguel, quando comparado às áreas mais centrais. A área apresenta características nítidas de consolidação do espaço: elevado tempo de residência e reduzidos vazios urbanos, além de um elevado adensamento construtivo.

Palavras-chave


Espraiamento intraurbano; Espaço periférico; Borda intraurbana; Dinâmica imobiliária

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X