O Bem Coletivo nos Assentamentos do Programa Nacional de Crédito Fundiário: fruto e resignação

Samuel Pires Melo

Resumo


O ponto de partida para pensar os assentamentos do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF) foi a indagação sobre o processo de construção coletiva dos mesmos, por meio de suas associações. Por isso, nosso objetivo principal foi observar como, ao mesmo tempo em que o tipo ideal de associação proposta pelo PNCF apresenta momentos de dependência com relação às parcerias, estas se fazem em um processo que pode gerar autonomia e representação associativa nos projetos de assentamentos, para sua consolidação. Para isso, trabalhamos numa perspectiva do método quanti-qualitativo, tomando como técnicas de investigação a observação participante, entrevistas semi-estruturadas e questionários aberto/fechados. Assim, estruturamos os dois estudos de casos, pela perspectiva da autonomia/representação associativa, desde a decisão à execução do projeto. Nos casos estudados, as associações se consolidam pela busca por ações que possam criar condições para a qualidade de vida, mesmo que referenciando, de certa forma, as intervenções.

Palavras-chave


Política Pública. Reforma Agrária. Autonomia. Representação Associativa. Construção Coletiva.

Texto completo:

pdf

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X