O Conselho Regional de Desenvolvimento Rural Sustentável da Região Sisaleira do Estado da Bahia – CODES SISAL: limites e possibilidades do desenvolvimento territorial

Solange Lima da Silva, Alicia Ruiz Olalde Olalde

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar o processo de gestão social no Território do Sisal, Estado da Bahia, trazendo para o cerne da discussão o papel desempenhado pelo Conselho Regional de Desenvolvimento Rural Sustentável da Região Sisaleira do Estado da Bahia – CODES SISAL, fundado em dezembro de 2002, a partir da articulação e mobilização de atores sociais e públicos com a finalidade de promover transformações institucionais e socioeconômicas que contribuíssem para o desenvolvimento sustentável. Procura identificar em que medida o processo de gestão social liderado pelo Conselho tem contribuído para a implementação de políticas públicas participativas visando à inserção social. Para tanto, vivenciamos o cotidiano do Conselho com a participação em oficinas, reuniões e seminários e utilizamos como instrumento de levantamento de dados a entrevista semi-estruturada e a coleta de dados a partir de documentos institucionais. Frente à relevância do CODES SISAL para uma região castigada pelas condições climáticas, que enfrenta um histórico de ações governamentais que não proporcionaram avanços na qualidade de vida da população, concluímos que desempenha um papel de fundamental importância na organização dos atores sociais para a superação dos obstáculos à promoção do desenvolvimento, contudo enfrenta diversos problemas e desafios. O êxito a ser alcançado pelo CODES SISAL depende muito do grau de participação das entidades/instituições, tanto do movimento social, quanto do poder público, e da legitimidade que conseguir frente a sociedade como um todo. Para tanto, é necessário aos integrantes a conscientização do seu papel e compromisso no desencadeamento do processo participativo.

Palavras-chave


Gestão Social. Desenvolvimento Territorial. Políticas Públicas

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X