O assédio moral no serviço público estadual: uma investigação no Estado do Pará

Carlos André Corrêa de Mattos, Ana Cleide Risuenho Peinado, Auriana Pantoja Rodrigues, Sheila Tatiana Santana de Oliveira

Resumo


Nas últimas décadas, a preocupação com as manifestações do assédio moral assumiram destaque nos estudos científicos, em especial nas ciências sociais aplicadas. Provavelmente, esta é uma das formas de violência menos declarada, porém não menos cruel. Este artigo tem por objetivo identificar as formas mais comuns de manifestação do fenômeno na administração pública estadual no Estado do Pará. O estudo, classificado como exploratório, descritivo, ex pos fatos, adotou abordagem quantitativa, utilizando técnicas de estatística descritiva e multivariada (AFE) para interpretar os resultados do trabalho de campo. A amostra foi composta por 119 entrevistados com abordagem não probabilística por acessibilidade. Os resultados indicaram como formas principais a atribuição excessiva de novas tarefas e a contestação sistemática de todas as decisões das vítimas. A análise fatorial indicou a presença de seis fatores subjacentes denominados como marginalizar, desqualificar desacreditar, intimidar, agredir e vexar. Compreender essas formas de manifestação pode fundamentar estratégias de combate e prevenção, contribuindo para um ambiente de trabalho mais saudável, justo e construtivo.

Palavras-chave


Assédio moral; violência organizacional; administração pública; Estado do Pará

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X