CONSCIÊNCIA AMBIENTAL VERSUS ATITUDES PRÓ-AMBIENTAIS: UMA AVALIAÇÃO DOS PROPRIETÁRIOS DAS AGROINDÚSTRIAS FAMILIARES

Alessandra Daiana Schinaider, Edson Talamini

Resumo


A adoção de práticas sustentáveis desde à produção de alimentos até o consumo final tem sido mais frequente nos últimos anos. Nesse contexto, os proprietários das agroindústrias familiares se deparam com diversos desafios quando se trata da diminuição de impactos ambientais e, em consequência, da promoção do desenvolvimento rural sustentável. Este artigo tem como objetivo analisar a influência da consciência ambiental sobre as atitudes pró-ambientais dos proprietários das agroindústrias familiares do RS/Brasil. Foi aplicado um questionário com a técnica de amostragem não-probabilística por conveniência, atingindo uma amostra de 105 respondentes. Para o processamento dos dados, optou-se pelas análises descritiva e fatorial. A aplicação da escala de avaliação da consciência ambiental (Escala NEP (New Ecological Paradigm)), demonstrou que os proprietários das agroindústrias familiares possuem um nível elevado de consciência ambiental, resultando em uma tendência de comportamento ecocêntrico. Além disso, observou-se que os proprietários das agroindústrias familiares têm atitudes pró-ambientais. Dentre as atitudes pró-ambientais estão o uso de embalagens recicláveis, a prática de conscientização ambiental, a economia de energia. Portanto, esses resultados podem auxiliar as esferas federativas na formulação de uma política de benefícios, motivando-os aqueles que possuem mais adequação à preservação ambiental e incentivando outros proprietários a praticarem mais ações ambientais.

Palavras-chave


Agroindústria Familiar. Comportamento Ecocêntrico. Novo Paradigma Ecológico. Desenvolvimento Rural Sustentável.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X