DOMÍNIO TECNOLÓGICO DISTRIBUÍDO: EVIDÊNCIAS DA AGROINDÚSTRIA DE CAFÉ BRASILEIRA

Rafael Kuramoto Gonzalez

Resumo


Este artigo diz respeito ao desenvolvimento tecnológico e inovação numa indústria intensiva em processamento de recursos naturais (IIPRN) no contexto brasileiro. É objetivo da pesquisa explorar como o domínio tecnológico distribuído auxiliou no desenvolvimento tecnológico de uma agroindústria de café solúvel nas décadas de 1970 a 2010. A literatura de inovação já apresenta uma considerável compreensão acerca do processo desagregado e distribuído de construção de domínio tecnológico entre parceiros em empresas de economias emergentes. Contudo, pouco se explorou como esse domínio distribuído se modifica e/ou evolui ao longo do tempo. Ademais, alguns estudos encapsulam as IIPRN com limitada oportunidade de criação de conhecimento tecnológico, desenvolvimento de atividades de inovação e externalidades positivas para o desenvolvimento econômico. Entretanto, pouco se investigou o processo de industrialização e de desenvolvimento tecnológico em IIPRN, com raras exceções. Baseando-se em evidências da agroindústria do café solúvel, por meio de um desenho qualitativo com base em uma estratégia de estudo de caso em nível de empresa, e com cobertura de longo prazo, esta pesquisa encontrou: (a) Heterogeneidade nos tipos de parceiro acessados e formação do domínio tecnológico distribuído entre as diferentes funções tecnológicas; (b) Heterogeneidade nos tipos de parceiro e formação do domínio tecnológico distribuído ao longo do tempo. Ademais, a pesquisa concluiu que as IIPRN podem oferecer oportunidades para inovações significativas, serem protagonistas na criação tecnologias e participarem ativamente de redes complexas de conhecimento tecnológico.

Palavras-chave


Domínio tecnológico distribuído. Café solúvel. Agroindústria. Brasil.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X