TERRITORIALIDADE E ETHOS EM INICIATIVAS DE JORNALISMO INDEPENDENTE DO NORDESTE DO BRASIL

Edgard Patrício de Almeida Filho, Naiana Rodrigues Silva

Resumo


O jornalismo contemporâneo vive processos de reconfiguração econômica, cultural e tecnológica que incidem em seus discursos, nas condições de trabalho e na identidade do jornalismo e do jornalista. Esses reordenamentos incluem o aparecimento de iniciativas de jornalismo independente sob novas condições de trabalho. Em 2016, a Agência Pública lançou o Mapa do Jornalismo Independente, que cataloga iniciativas em todo o Brasil. Destas, 17 iniciativas estão na região Nordeste do Brasil. Esse estudo visa identificar marcas de territorialidade no ethos dessas iniciativas de jornalismo independente do Nordeste. Analisamos as seções ‘Sobre’ e ‘Quem somos’ nos sites desses coletivos para reconhecer a presença do território como aporte simbólico, e perceber como a regionalidade define as identidades das iniciativas. Os resultados da análise apontam que os diversos ethé das iniciativas de jornalismo independente, aqui analisadas, dão conta da diversidade dos grupos. Estão vinculados a uma identidade cultural, a territórios físicos e ao território do jornalismo, envoltos, assim, em resultados e projeções que ampliam sua complexidade de análise. Esses ethés vinculados a territórios físicos ainda admitem uma subdivisão de espaço delimitado, indo de um bairro, passando por uma cidade e chegando a ‘zonas’ de atuação, como as regiões periféricas. Essa delimitação de ‘ocupação’ está quase sempre vinculada a uma percepção de identidade cultural.

Palavras-chave


Jornalismo independente. Território. Ethos. Região Nordeste.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X