CENTRALIDADE DOS SERVIÇOS DE SAÚDE: DESLOCAMENTOS POPULACIONACIONAIS DIÁRIOS PARA CHAPECÓ/SC

Ana Laura Vianna Villela, Rosa Salete Alba, Claudio Machado Maia, Márcia Lúcia Ferrari, Aléxander Augusto Ortmeier

Resumo


As cidades, em função das economias de aglomeração, suscitam, aproveitam, ganham importâncias diversas, hierarquizando-se, em geral, em função dos bens e serviços que prestam aos espaços circundantes, tornando-se assim elementos dinâmicos de estruturação dos espaços. Neste contexto o estudo analisa os deslocamentos pendulares para acesso aos serviços de saúde instalados na cidade de Chapecó/SC apresentam importante faceta para a compreensão da sua centralidade e função urbana no contexto regional. O método utilizado abrange a investigação in loco dos municípios pertencentes à Macrorregião do Oeste de Santa Catarina, o levantado e comparação do número de estabelecimentos públicos e particulares do banco de dados do DATASUS e os dados populacionais. Os resultados apontaram que 94 municípios enviam semanalmente a Chapecó pessoas em busca dos serviços de saúde em seus diversos tipos de atendimento e estabelecimentos, totalizando uma circulação de aproximadamente 6.000 usuários por semana. Somam-se a este fluxo outros 20 municípios, que enviam usuários esporadicamente, destacando o importante papel destes movimentos na dinâmica da cidade e evidenciando sua importância regional. Apesar da oferta do serviço público dar indícios de estar bastante aquém da demanda, o que tem aberto espaço para a provisão dos serviços pela rede privada, é possível aferir que Chapecó se coloca como importante referência na região oeste de Santa Catarina na área da saúde.

Palavras-chave


Saúde. Movimento pendular. Cidade média. Centralidade regional. Chapecó.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X