A CULTURA DO EUCALIPTO NO ESTADO DE SÃO PAULO CONSIDERANDO OS CONCEITOS DE PAISAGEM, FORMAÇÃO ECONÔMICO SOCIAL E SISTEMAS AGRÁRIOS: UM CAMINHO PARA A GESTÃO AMBIENTAL

Daniel Stella Castro

Resumo


Pautado nos conceitos de Paisagem, formação-econômico e social e sistema agrário, foi realizada uma revisão bibliográfica sobre a silvicultura do eucalipto desde sua implantação em território paulista na virada do século XIX para o XX até os dias atuais com intuito de trazer à tona a discussão sobre um tipo de sistema produtivo dominante e sua consequente homogeneização das distintas paisagens no território paulista. Nesse sentido, vale ressaltar que a elite agrária paulista sempre ocupou uma posição central no desenvolvimento da silvicultura paulista, seja por meio do Estado ou por meio de empresas privadas que formaram suas áreas de cultivo em detrimento das diferentes unidades paisagísticas contidas no território paulista as principais áreas de silvicultura do eucalipto situam-se em regiões historicamente influenciadas pelos antigos hortos florestais das companhias de estradas de ferro e em áreas relativamente com topografia não adequada às tecnologias disponíveis às práticas agrícolas. Contudo, a pressão de tal sistema dominante provocou em tais regiões uma homogeneização da paisagem apesar de suas diferenças físicas, biológicas e culturais, provendo impactos sobretudo na agricultura familiar.

Palavras-chave


eucalipto; paisagem; sistema agrário e gestão ambiental

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X