EXPANSÃO DA MINERAÇÃO EM TERRAS INDÍGENAS NA AMAZÔNIA ORIENTAL BRASILEIRA: VULNERABILIDADE SOCIAL E IMPACTOS SOCIOAMBIENTAIS

Mônica Moraes Ribeiro, Ronaldo Darlan Gaspar Aquino, José Augusto Carvalho de Araújo, Heriberto Wagner Amanajás Pena, Altem Nascimento Pontes

Resumo


Este estudo tem como objetivo analisar a expansão da atividade mineral em terras indígenas na Amazônia oriental brasileira, focalizando especificamente o estado do Pará, afim de discorrer sobre a vulnerabilidade social das principais etnias localizadas nesta região e os danos socioambientais causados pela mineração. Os dados tratados e discutidos foram adquiridos através de pesquisa bibliográfica, documental e de sítios eletrônicos de órgãos oficiais. A análise descritiva foi desenvolvida pelo código computacional Arcmap® e tratadas no Excel, que permitiram evidenciar através de mapas, tabelas e gráficos a expansão da atividade mineral em terras indígenas, o que pode justificar a agudização dos atuais conflitos locais. Os resultados informam que a partir de 1990 começou ocorrer elevação na quantidade de requerimentos de processos de mineração, havendo sucessivos aumentos até a atualidade. Isto evidencia a grande pressão que essa atividade está causando às terras indígenas e se traduz também na crescente extensão das áreas de mineração na região em análise. Os grupos indígenas mais vulnerabilizados pela expansão da mineração são os que compõem as etnias Wayana, Apalaí e Kayapó. Diante disso, há a necessidade imperiosa de políticas públicas capazes de promover o desenvolvimento econômico alicerçado na manutenção e harmonia entre os componentes econômico, social e ambiental para garantir a integridade da natureza e das comunidades indígenas que dela dependem.

Palavras-chave


Mineração. Terras Indígenas. Gestão Pública. Amazônia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X