DESEMPREGO, RESILIÊNCIA E REINSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO

Adriana Leônidas de Oliveira, Monique Marques da Costa Godoy, Fabiane Ferraz Silveira Fogaça

Resumo


Tendo como ponto de partida os efeitos que o desemprego provoca na vida do trabalhador, colocando-o em vulnerabilidade física, emocional e social, e as dificuldades em se reinserir no mercado de trabalho, este artigo possui como objetivo identificar e analisar como os pilares de resiliência auxiliam o provedor familiar a se reinserir no mercado de trabalho, comparando os pilares de resiliência de trabalhadores desempregados e trabalhadores reinseridos no mercado. A amostra foi composta por trinta provedores que estiveram desempregados nos dois últimos anos e que residem nas sub-regiões de Taubaté e São José dos Campos da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte. Os participantes responderam a um questionário sociodemográfico e à Escala Pilares da Resiliência (EPR), cujo resultados foram analisados quantitativamente. Os resultados abordam os impactos do desemprego na vida pessoal e na resiliência do trabalhador, além de suas estratégias de reinserção ao mercado de trabalho. Conclui-se que os pilares de resiliência e a situação de desemprego influenciam-se mutuamente, sendo que o desemprego afeta negativamente a autoconfiança, enquanto que as características aceitação positiva para mudanças, reflexão e independência são essenciais para o enfrentamento do desemprego, por estarem relacionadas à flexibilidade e organização de recursos. Tal conhecimento mostra-se relevante para subsidiar programas voltados à reinserção do desempregado ao mercado de trabalho.

Palavras-chave


Desemprego. Retorno ao trabalho. Resiliência Psicológica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X