SOBREVIVÊNCIA LOCAL DE AGÊNCIAS BANCÁRIAS NO BRASIL

Mateus Guilherme dos Santos, Anderson Tadeu Marques Cavalcante

Resumo


Este estudo busca compreender os determinantes da sobrevivência local das agências bancárias no Brasil. O sistema bancário tem passado por diversas mudanças, em especial com o advento de novas tecnologias de informação, que afetam diretamente a própria lógica da existência de agências bancárias. Por outro lado, as agências bancárias ainda são importantes canais de acesso a serviços, especialmente em regiões periféricas do país, e a redução de seu número pode afetar o desenvolvimento local nesses espaços. A análise parte da construção de um indicador de sobrevivência das agências bancárias, em nível municipal, a partir do qual pretende-se verificar, por meio de um modelo de dados em painel, os determinantes da sobrevivência de agências, incluindo elementos respectivos ao gerenciamento do portfólio das agências e das características do mercado bancário local e dos municípios. Resultados apontam para a importância da demanda local e o bom gerenciamento de ativos e passivos nas agências como elementos de sobrevivência. Entretanto, a concentração de recursos nos munícipios tende a aumentar a concorrência entre agências e a acelerar a substituição de agências por outros agentes e serviços disponíveis, reduzindo a taxa de sobrevivência. Esses resultados apontam para a importância de entender a dinâmica local nos atuais processos de mudança no sistema bancário para informar as estratégias de desenvolvimento setorial e público.

Palavras-chave


Serviços financeiros. Agências bancárias. Sobrevivência. Desenvolvimento financeiro e regional.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X