POBREZA E DESIGUALDADE DE RENDA: UMA ANÁLISE PARA A REGIÃO IMEDIATA DE ILHÉUS-ITABUNA, BAHIA, BRASIL

Givaldo Correa dos Santos Neto, Monick Midlej do Espírito Santo, Thaís Santos Amaral, Drielle Santos Oliveira Fernandes, Andréa da Silva Gomes, Mônica de Moura Pires

Resumo


O presente artigo parte de um novo recorte regional, a Região de Influência Imediata de Ilhéus-Itabuna, a qual engloba 22 municípios, busca verificar se a pobreza, sob a ótica multidimensional, se apresenta de forma distinta entre as áreas rurais e urbanas, e se nos locais onde há maior desigualdade de renda, os indicadores de pobreza são maiores. Como procedimentos metodológicos foram adotados o Índice de Theil-L, o Coeficiente de Williamson e o Índice de Pobreza Multidimensional. Os dados utilizados referem-se às zonas urbanas e rurais da região imediata de Ilhéus-Itabuna, Bahia, a partir dos setores censitários do Censo Demográfico de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. De acordo com os resultados, nota-se que a pobreza está espraiada pela região analisada, porém mais concentrada nas zonas rurais, as quais apresentam maiores índices de pobreza. Por outro lado, as zonas urbanas, as quais oferecem maior diversidade de serviços superiores, esses índices de pobreza são menores. Nos principais municípios da região estudada que são Ilhéus e Itabuna, os níveis de desigualdade de renda são mais elevados nas áreas urbanas. O conjunto dos fatores observados evoca a necessidade de reformulação de políticas públicas para a região, especialmente na geração de emprego, melhor distribuição de renda, aumento no nível educacional da população, melhor infraestrutura e melhor oferta de serviços de saúde básica.

Palavras-chave


Desenvolvimento Regional. Privação. Concentração de Renda. Rural-Urbano.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X