INTERIORIZAÇÃO DOS INSTITUTOS E UNIVERSIDADES FEDERAIS: UMA ANÁLISE DO PERFIL DOS ALUNOS E SEUS POSSÍVEIS EFEITOS

Paulo Henrique Farias Barbosa, Luis Henrique Romani Campos

Resumo


O presente trabalho estabelece uma tipologia da divisão regional das áreas do ensino que os estudantes dos campi do interior abertos após 2003 de Institutos Federais (IFs) e Universidades Federais (UFs) estão inseridos. Além disso, analisa o perfil desses alunos em cada área do ensino, fazendo um corte regional. Para tanto, utiliza-se estatísticas descritivas e o multiple correspondence analisys (MCA). Com isso, constatou-se que os alunos desses novos campi (tanto dos IFs, quanto das UFs) nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, são, em sua maioria, de cursos voltados para a licenciatura. Por outro lado, os estudantes do Sul e Sudeste estão concentrados em áreas do conhecimento diretamente ligadas à produção de bens e serviços. Além disso, os alunos da área da educação necessitam de maior apoio das políticas públicas voltadas para o acesso e permanência no ensino superior; visto que essa área concentra os estudantes provenientes de escola pública, cotistas, que recebem apoio social, cor preta e parda. Já os alunos das áreas da engenharia/produção, parecem ser os com menos necessidade dessas políticas, dado que são provenientes de escola particular, não são cotistas, não recebem apoio social, são de cor branca e amarela.

Palavras-chave


Multiple Correspondence Analisys (MCA). Ensino superior. Políticas públicas. Desenvolvimento regional.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X