COVID-19 EM TERESINA-PI: ASPECTOS SOCIOESPACIAIS x MEDIDAS DE ENFRENTAMENTO DAS FRAGILIDADES

Anna Karina Borges de Alencar, Viviane Barros Amorim Costa, Maria Paula Soares Laurentino, Arthur Pedrosa Rocha, Carla Castro Ohana, Giulia Brito da Silva Couto, Yara Maria de Oliveira Feitosa

Resumo


Este artigo aborda os aspectos socioespaciais da disseminação da COVID-19 no território urbano de Teresina - PI, bem como, as medidas de enfrentamento das fragilidades, com foco nos territórios periféricos de baixa renda. Com base em algumas variáveis de urbanização existentes no território, pautadas em dados oficiais de pesquisa censitária do IBGE e da Prefeitura de Teresina, é feita uma breve apresentação da realidade local, apontando a condição de desenvolvimento desigual vigente em Teresina. Associado a tais dados, é feita uma análise da evolução da doença no território urbano e dos decretos promulgados pelo poder público adotados como medidas de enfrentamento à pandemia. Para isso, além dos dados oficiais da prefeitura e do governo do estado, contou-se com informações fornecidas semanalmente pela Fundação Municipal de Saúde referentes aos casos e óbitos provocados pela doença. Ademais das ações e políticas públicas, analisam-se também as ações alternativas ponderando se as mesmas alcançam a população periférica de baixa renda. Para tal, além das informações em sites oficiais das organizações da sociedade civil, foram feitas algumas entrevistas por telefone. A análise sobre a evolução do vírus confirma um cenário desigual de disseminação da doença, evidenciando sua rápida expansão para o território periférico, onde a população tem estado mais vulnerável à contaminação e ao óbito. Identifica-se uma insuficiência das ações e portanto uma necessidade de incidência política para a defesa dos direitos básicos dos moradores dos territórios periféricos de baixa renda.

Palavras-chave


Covid-19 em Teresina. Aspectos socioespaciais. Medidas de enfrentamento.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X