TURISMO, PATRIMÔNIO E SAÚDE: UMA ANÁLISE DA RE-EXISTÊNCIA DA TERRITORIALIDADE DO CARIMBÓ BELENENSE NA “QUARENTENA” AMAZÔNICA

Maria Augusta Costa Freitas Canal, Victor Barbosa Campos, Milene de Cássia Santos de Castro

Resumo


O presente trabalho busca analisar as implicações e tensões gerais vinculadas pela quarentena pandêmica de Covid-19 na Amazônia brasileira à territorialidade do carimbó enquanto atratividade turística no urbano belenense. Os procedimentos à análise envolveram levantamento bibliográfico e documental, monitoramento de dados secundários em redes virtuais institucionais e de grupos de carimbó, trabalho de campo com roteiro de observação dirigida e a entrevista semiestruturada realizada com integrantes de grupos de carimbó. Os resultados demonstram que as restrições aos espaços turísticos e a “quarentena’ de baixo impacto em termos de isolamento social em Belém implicam em constrangimentos aos mediadores da territorialidade do carimbó deixando evidente a fragilização do atrativo turístico e da persistência do patrimônio imaterial nessa cidade mantidos pelo fazer e re-existência dos grupos.

Palavras-chave


Turismo. Territorialidade. Carimbó. Covid-19.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X