DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL, COVID-19 E AS NOVAS ESTRATÉGIAS DE PRODUÇÃO, COMERCIALIZAÇÃO E CONSUMO DE ALIMENTOS DA AGRICULTURA FAMILIAR NA REGIÃO SUL DO RIO GRANDE DO SUL

Abel Cassol, Letícia Paludo Vargas, Mario Duarte Canever

Resumo


O artigo apresenta as principais transformações geradas pela pandemia da Covid-19 na agricultura familiar na região sul do RS. O objetivo é analisar como os agricultores familiares têm sido afetados e têm respondido às crises sanitária, econômica e alimentar resultantes das transformações profundas e imediatas trazidas pelo novo coronavírus. O argumento defendido é o de que os efeitos gerados pela pandemia podem abrir a oportunidade de retomada dos territórios como principal dimensão para os processos de desenvolvimento rural. A coleta dos dados foi realizada a partir de 21 entrevistas semiestruturadas com atores vinculados à agricultura familiar. Apesar das dificuldades impostas à saúde, produção, comercialização e consumo de alimentos, os dados demonstram haver um protagonismo dos atores e organizações locais no enfrentamento da pandemia. Especialmente, verifica-se como esses atores, estão construindo um conjunto de práticas e processos que tem contribuído na coesão do tecido social, na manutenção do dinamismo econômico do território e, principalmente, na garantia do acesso aos alimentos e da segurança alimentar e nutricional dos seus habitantes. Contudo, para que essas ações perdurem no longo prazo e efetivamente sejam institucionalizadas é preciso que elas sejam conectadas a uma nova agenda de desenvolvimento territorial que intersecione o debate sobre sustentabilidade com os sistemas alimentares locais, conforme se apresenta nesse trabalho.

Palavras-chave


Desenvolvimento territorial. Agricultura familiar. Covid-19. Alimentação

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X