UMA ANÁLISE ESPACIAL DO OESTE DO PARANÁ: CENÁRIOS PARA O DESENVOLVIMENTO REGIONAL

Elizabeth Giron Cima, Miguel Angel Uribe-Opazo, Weimar Freire da Rocha Junior, Rui Manuel de Souza Fragoso

Resumo


Este estudo analisa se existe uma relação direta entre municípios limítrofes do oeste do estado Paraná, Brasil, e o seu desenvolvimento regional. Deste modo, analisou-se a autocorrelação espacial do efetivo da produção pecuária (quantidade de bovino, suíno, aves e produção leiteira) dos anos 2011 a 2017, do valor bruto da produção agropecuária (VBPA), do valor adicional fiscal per capita (VAF) dos anos 2013 a 2015 e a correlação espacial bivariada do valor adicional fiscal per capita em relação ao efetivo da produção pecuária dos anos 2013 a 2017. O referencial teórico se embasou na avaliação espacial de desempenho com base nas técnicas de índice de autocorrelação global de Moran, local de Moran e correlação bivariado de Moran. Os resultados permitem identificar regiões com baixo e elevado efetivo de produção pecuária, valor bruto da produção agropecuária e índice de desenvolvimento humano por município (IDHPM). Houve maior autocorrelação espacial positiva para a produção de suínos, produção de leite, seguida do valor fiscal adicional per capita. Para o indice de desenvolvimento humano municipal, foram encontradas autocorrelações espaciais significativas. O valor adicional fiscal per capita apresentou semelhança entre as regiões estudadas. Ao avaliar a correlação espacial bivariada entre o valor adicional fiscal per capita (VAF) em relação ao efetivo da produção pecuária, observou-se a presença de correlação espacial positiva para a produção de suínos, aves e leite. Já para a produção de bovinos, o resultado apresentou correlação espacial negativa significativa.

Palavras-chave


Autocorrelação, Correlação bivariada, Índice de Moran, Produção agroindustrial

Texto completo:

PDF (English)

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X