EFEITOS DE VARIÁVEIS SOCIOECONÔMICAS SOBRE O CONSUMO ALIMENTAR NA REGIÃO CENTRO-OESTE DO BRASIL

Madalena Maria Schlindwein, Alexandre Bandeira Monteiro e Silva, Jaqueline Severino da Costa

Resumo


Este estudo teve como objetivo analisar a influência de algumas variáveis socioeconômicas sobre o padrão de consumo alimentar das famílias na região Centro-Oeste do Brasil. Os dados utilizados foram das Pesquisas de Orçamentos Familiares (POFs) de 2002-2003 e de 2008-2009, realizadas pelo IBGE. Com base na Teoria da Produção Domiciliar e com a utilização do procedimento de Heckman, verificou-se que o custo de oportunidade do tempo da mulher está diretamente relacionado com o dispêndio familiar com alimentos que demandam um menor tempo de preparo e inversamente relacionado com a probabilidade de aquisição e dispêndio com alimentos ‘tempo-intensivos’. Os dados também mostraram uma significativa mudança nos padrões de consumo alimentar da população brasileira ao longo dos últimos anos. Houve uma redução na aquisição domiciliar per capita de feijão, arroz, batata, carnes e farinha de trigo, que fazem parte de uma cesta de alimentos bastante popular nos lares brasileiros e um aumento na aquisição de alimentos prontos ou ‘semi-prontos’, pães, iogurtes, refrigerantes, sucos e de alimentação fora de casa. A renda domiciliar mostrou-se altamente significativa na determinação dos padrões de gasto com os alimentos analisados. Verificou-se um efeito maior da renda sobre os alimentos ‘poupadores de tempo’ em relação aos ‘tempo intensivos’. A escolaridade da mulher teve grande influência na determinação dos padrões de gasto domiciliar de alimentos para todas as Unidades Federativas da região Centro-Oeste. A urbanização também se mostrou importante na determinação dos padrões de gasto familiar.

Palavras-chave


Custo de oportunidade; Renda familiar; Procedimento de Heckman

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.