O CAMPO NA PERSPECTIVA DOS RURAIS: AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS COMO INDICADORES DAS MUDANÇAS NOS MODOS DE VIDA DA POPULAÇÃO QUE VIVE NO CAMPO

Nayhara Gomes, Ana Louise Fiúza, Neide Pinto, Paula Cristina Remoaldo

Resumo


Ao se observar, na atualidade, as paisagens do campo de norte a sul do Brasil, percebe-se uma evidente expansão dos padrões de vida urbana para as populações rurais, seja nas moradias, pousadas e espaços destinados ao turismo rural, na presença das motos e carros circulando pelas estradas, no acesso ao celular e outras tecnologias da informação e comunicação, como, ainda, nos padrões de consumo, inclusive, de alimentos. Este estudo objetivou analisar a forma como essas mudanças nos modos de vida dos rurais eram percebidas por eles próprios, guiando-se por uma estratégia comparativa acerca das diferenças e confluências que os mesmos percebiam em termos do modo de vida de citadinos e rurais. O estudo utilizou uma metodologia de caráter cross-sectional, com a aplicação de 94 questionários semi-estruturados, em um pequeno município de economia cafeeira, localizado na Zona da Mata mineira. As respostas abertas obtidas foram tratadas no software de análise textual, Alceste. Os resultados obtidos mostraram que na avaliação dos entrevistados “a vida de hoje” era percebida como tendo melhorado em relação à do passado. As representações não apontaram para a percepção de qualquer segregação socioespacial por parte dos rurais, que se sentiam parte da cidade e interpretavam as melhorias na vida no campo como agregadoras de aspectos significativos da sua integração à vida citadina, como se observou por meio das representações relativas ao estudo e ao consumo. Todavia, a vida no campo também foi avaliada como sendo marcada por aspectos negativos, como aqueles associados ao trabalho e à infraestrutura viária.

Palavras-chave


Representação social; Rurais; Campo; Cidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X

RBGDR está indexada em: