POBREZA, SEGURANÇA ALIMENTAR E AUTOCONSUMO NA RESERVA EXTRATIVISTA (RESEX) CHICO MENDES

Pedro Gilberto Cavalcante Filho, Raimundo Claudio Gomes Maciel, Oleides Francisca de Oliveira, Wiulien do Santos Araújo

Resumo


O presente trabalho tem o objetivo de avaliar a condição de segurança alimentar e de autoconsumo das famílias assentadas na Reserva Extrativista (RESEX) Chico Mendes nas últimas duas décadas. Especificamente, busca-se identificar os níveis de pobreza e de distribuição de renda e suas relações com a segurança alimentar e o autoconsumo. Trabalha-se com a metodologia do Projeto de Análise Socioeconômica dos Sistemas Básicos de Produção Familiar Rural do Estado do Acre (ASPF), capitaneado na Universidade Federal do Acre (UFAC), que desenvolveu indicadores e índices de resultados econômicos que traduzem a realidade dos pequenos produtores rurais. Além disso, estimou-se o índice de Gini, que é comumente utilizado para medir o nível de desigualdade de renda. Os resultados indicam que, mesmo após 20 anos de implementação da RESEX Chico Mendes, ainda se encontram altos níveis de insegurança alimentar, resultado da elevação da dependência de bens adquiridos no mercado e, especialmente, pela redução do nível de autoconsumo. Além disso, constatou-se a manutenção da desigualdade de renda entre as famílias assentadas e o aumento dos níveis de pobreza e de extrema pobreza no período recente, o que denota a necessidade urgente da elaboração de uma agenda que reformule políticas já implementadas e a formulação de novas medidas para garantir a segurança alimentar.

Palavras-chave


Segurança alimentar. Autoconsumo. RESEX Chico Mendes. Pobreza. Amazônia.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X