GREVE DOS CAMINHONEIROS: OS SETORES MAIS AFETADOS E SUAS DEPENDÊNCIAS ESPACIAIS

Amarildo de Paula Junior, Ricardo Luís Lopes

Resumo


O presente estudo tem como objetivo averiguar quais setores da economia brasileira foram os mais afetados pela greve dos caminhoneiros ocorrida em maio de 2018 e se esses setores têm dependências espaciais entre si. A abordagem metodológica dessa pesquisa é feita com o modelo de Inoperabilidade de Matriz Insumo-Produto (IMIP) e com a Análise Exploratória de Dados Espaciais (AEDE). Observou-se que, além do próprio setor de transporte terrestre, os setores que mais foram afetados pela greve dos caminhoneiros foram os setores de refino de petróleo e o de fabricação de peças e acessórios para veículos automotores, devido às suas altas ligações com o setor paralisado. Além disso, os testes de I de Moran global e local apresentaram que, tanto na análise univariada quanto na análise bivariada, os setores mais afetados pela greve dos caminhoneiros têm dependência espacial estatisticamente significativa com a presença de clusters na região nordeste.

Palavras-chave


Greve dos caminhoneiros; Inoperabilidade de Matriz Insumo-Produto; Análise Exploratória de Dados Espaciais.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X