ESPAÇO URBANO E PRODUÇÃO DE CENTRALIDADES SOCIALMENTE SEGMENTADAS: EM QUE SE FIRMA A CENTRALIDADE DE CAMPOS DO JORDÃO, SP?

Marilne Thomazello Mendes Fernandes, Maria Aparecida Chaves Ribeiro Papali, Cilene Gomes, Daniel José de Andrade

Resumo


Com base em uma revisão do conceito de centralidade, apoiada em aportes da geografia e do urbanismo, objetiva-se ressaltar os atributos de centralidade da cidade de Campos do Jordão (SP), em distintas escalas de tempo e da organização espacial. Para isso, procedeu-se a uma leitura da história da cidade com o intuito de reconstituir a estruturação do espaço urbano, evidenciando a dinâmica demográfica e de atividades econômicas deflagrada pelo turismo, a produção de centralidades intraurbanas socialmente segmentadas e a centralidade de Campos do Jordão no espaço regional e microrregional. A metodologia utilizada inclui, além da pesquisa bibliográfica e documental, procedimentos de quantificação, uso de técnicas de geoprocessamento e análise espacial e observações in loco. As constatações empíricas possibilitaram fazer apontamentos para uma discussão sobre a racionalidade da cidade mercadológica que se impõe, simbólica e funcionalmente, sobre as dinâmicas da população moradora, alimentando disparidades sociais e conivência do poder público na depreciação dos direitos de todos à vida digna na cidade.

Palavras-chave


Produção social do espaço; Centralidade; Campos do Jordão; Cidade mercadológica.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X