BEM VIVER COMO FORMA DE RESISTÊNCIA NO PROGRAMA DE TURISMO DE BASE COMUNITARIA LOS RÍOS, PANGUIPULLI (SUL DO CHILE)

Liliane Cristine Schlemer Alcântara, Christian Henríquez Zuñiga

Resumo


Apresentam-se resultados de uma investigação sobre alternativas ao enfoque do desenvolvimento, tendo como protagonismo a concepção andina do Bem Viver (BV). O objetivo deste artigo é realizar uma medição capaz de refletir as distintas dimensões do bem-estar humano a partir do Programa de Turismo de Base Comunitária de Los Ríos, sul do Chile. Metodologicamente utilizou-se de pesquisa descritiva-qualitativa e observação participante com aplicação de matriz de indicadores multidimensionais de Bem Viver parametrizados por 17 indicadores, complementários entre o subjetivo-objetivo, analisados por meio do software IRaMuTeQ/R, mediados por satisfatores. Os resultados permitem visualizar necessidades e oportunidades, contribuindo com elementos e discussões que levam a compreender a resiliência e a resistência territorial dos povos e das comunidades tradicionais como um dos desafios do século XXl.

Palavras-chave


Bem Viver. Indicadores. Território. Subjetividade

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X