GESTÃO DO CONHECIMENTO NO PODER JUDICIÁRIO: UMA ANÁLISE DE UNIDADES JUDICIÁRIAS DA COMARCA DE GOIÂNIA A PARTIR DO DIAGNÓSTICO PELO MÉTODO OKA

Poliana Marzinoti Izumita, Quesia Postigo Kamimura, Edson Aparecida de Araujo Querido Olivei Oliveira

Resumo


Este artigo tem por objetivo analisar, no contexto atual, o grau de preparação em gestão do conhecimento de unidades judiciárias da comarca de Goiânia a partir dos elementos centrais do conhecimento: sistema, processo e pessoas. A pesquisa constitui-se um estudo de caso com abordagem descritiva, exploratória e quantitativa, utilizando o método OKA - Organizational Konowledge Assessment. Para tanto, utiliza-se nesta pesquisa um questionário do método OKA com perguntas fechadas, preestabelecidas, aplicado a vinte participantes de seis unidades judiciárias, juízes e servidores do Tribunal de Justiça do estado de Goiás da comarca de Goiânia. Os resultados obtidos foram fracionados em 14 dimensões distribuídas pelos três elementos: pessoas, processos, sistemas. A pesquisa aponta, de acordo com a revisão de literatura e a porcentagem encontrada pelo sistema OKA, que as unidades judiciárias apresentam desempenho baixo em cinco das 14 dimensões analisadas; desempenho mediano em seis dimensões e desempenho alto em três. Da somatória de todas as dimensões, por elementos, foram obtidos 17,5% no elemento sistema, 15,52% no elemento processo e 14,74% no elemento pessoas, enquadrando-se as unidades estudadas em um desempenho mediano nos três elementos. Conclui-se, então, que apesar das oscilações entre dimensões em cada elemento, as unidades estudadas se mantêm em uma situação regular em práticas de gestão do conhecimento. Os achados permitem apresentar algumas condutas para obtenção de melhores ações nessa gestão, que possibilitarão a melhoria da prestação jurisdicional e subsidiariamente o desenvolvimento regional do Centro-Oeste Goiano.

Palavras-chave


Planejamento. Desenvolvimento Regional. Gestão Pública. Gestão do Conhecimento. Poder Judiciário

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.






ISSN 1809-239X